SAC (55) 3289-1055 contato@fdotto.com.br
Escolha uma Página

Histórico da Empresa

A empresa F. Dotto e Cia. Ltda. está sediada no distrito de Vale Vêneto que pertence ao município de São João do Polêsine, e tem como nome fantasia, Engenho Nossa Senhora de Lourdes.

O nome fantasia da empresa originou-se por ter na localidade de Vale Vêneto uma gruta no pé do morro com uma imagem de Nossa Senhora de Lourdes, local este que tornou-se centro de devoção religiosa e referência na comunidade ao longo do tempo.

A atividade principal da empresa concentra-se na industrialização e comércio de arroz, em todas as suas etapas, que são: recepção, secagem, armazenamento, compra, industrialização e venda.

A empresa tomou rumo, na década de 50, para este tipo de negócio, a partir das iniciativas do Sr. Carlos Miguel Dotto, que possuía espírito empreendedor e deixou para seus filhos um negócio com várias frentes e possibilidades de desenvolvimento, conforme os produtos cultivados na região. Assim, vários tipos de moinhos foram implantados para moagem de milho, trigo e arroz.

Nesta época a empresa não possuía registro jurídico e sua atividade concentrava-se na prestação de serviços de moagem de cereais para os moradores da região.

Com o passar do tempo os filhos de Carlos Miguel Dotto, Fausto Lino Dotto e Benjamin S. Dotto, foram assumindo em sociedade os negócios da família, tendo a responsabilidade de cuidar do casal Carlos Miguel e Angélica, os quais compraram a propriedade direcionando para o beneficiamento de arroz e atividades com uma oficina mecânica, deixando de efetuar a moagem de trigo.

A força de trabalho se constituía de um colaborador contratado e membros da família, que não recebiam remuneração fixa. Os equipamentos de trabalho eram precários e não existia energia elétrica, o que dificultava a produção por ter que se abastecer de energia proveniente da roda d’água ou motor a gás ou diesel. Também era difícil o deslocamento e acessos a outras localidades, pois as estradas eram precárias e os meios de transporte eram carroças puxadas a bois.

Como descendente de imigrantes e colonizador da região, o Sr. Carlos Miguel se empenhou em prover os meios necessários para desempenhar atividades que necessitavam de alguma forma de energia para suprir o uso de força animal. Então, foram feitos canais para a condução de água até uma roda que, movimentada desta maneira, gerava energia para o moinho existente. Mais tarde, motores a óleo e a gás foram adotados.

Quando houve a possibilidade de ter energia elétrica, as primeiras redes com implantação dos postes e a colocação dos fios, foram feitas com a ajuda de moradores da região que, com muito esforço, desbravaram vales e montanhas e trouxeram a energia produzida pela Usina Hidrelétrica de Nova Palma.

Na década de 60, o arroz passou a ser o principal produto processado e foi necessário uma melhor organização e a empresa passou a ser registrada com razão social denominada Fausto Lino Dotto.

O arroz era cultivado em pequenas áreas não mecanizadas, gerando pouco volume de produção, isso não permitia que a empresa assumisse compromissos por não possuir estoque e produção suficientes. Com um sistema produtivo de baixa escala e com equipamentos precários, não tinha condições de obter um produto com boa qualidade final.

Com o avanço das tecnologias, a mecanização das lavouras em ritmo avançado, e a possibilidade de armazenagem de grãos, a oferta de arroz em casca pelos agricultores tornou-se constante durante o ano, e a empresa também teve que passar por mudanças estruturais de produção e de administração, para se manter no mercado.

Neste período foi necessário investir no aumento da capacidade de armazenagem e para isso foi construído um pavilhão maior que armazenava arroz com casca embalado em sacos de aniagem. Também foi instalado um secador de grãos com capacidade máxima de 100 sacos de arroz, sendo substituído posteriormente, por outro com maior capacidade. Assim também, sucederam-se várias atualizações nos descascadores de arroz, onde eram trocadas partes dos equipamentos e ultimamente houve a instalação de um equipamento maior e mais produtivo. A empresa também adquiriu um caminhão para promover o deslocamento de produto e executar outros serviços afins.

Estas iniciativas sempre partiram dos membros da família que sentiam a necessidade de aprimorar as condições de trabalho. Todas as possibilidades de mecanizar o empreendimento e facilitar o trabalho, sempre foram exploradas e colocadas em prática, na maioria das vezes aproveitando materiais de sucata, rejeitos de outros empreendimentos, ou aquisições que eram transformadas e adaptadas.

Assim, com produto em estoque, a empresa passou a investir em negócios maiores e mais frequentes, passando a vender arroz descascado dentro do estado, em embalagens de 60 Kg.

No final da década de 70, por um acordo entre os sócios, a empresa foi dividida, ficando a oficina mecânica, caminhão e terrenos para Benjamin S. Dotto e o engenho de arroz, moinho de milho e prédios para Fausto Lino Dotto. Com isto a empresa passou a ter razão social trocada para o nome de Vivina Elisa Zamberian Dotto, e passou a ser administrada por seu marido Fausto Lino Dotto e filhos.

Com o passar do tempo os filhos foram se retirando em busca de estudos e alternativas deixando a administração nas mãos do pai.

Na década de 90, por motivos de saúde do Sr. Fausto convidou um de seus filhos, Ricardo Fernando Dotto, formado como Engenheiro Agrônomo é convidado a retornar para a empresa e assume aos poucos a administração da mesma. Nesta década Vivina Elisa Zamberlan Dotto vem a falecer e a empresa teve novamente sua razão social trocada, passando para Fausto Lino Dotto e Cia. Ltda.

Continuamente a demanda exige melhoramentos, então para atingir maior produção com menor custo, era necessário desenvolver um método de trabalho mais eficaz, assim adotou-se parceiros para auxiliarem na procura de arroz em casca, compra e transporte até a empresa de beneficiamento. Outro parceiro desenvolve a parte de comercialização do arroz descascado embalado em saca de 50 quilos ou fardos de 30 quilos. Também são comercializados os sub-produtos, como cangicão, quirera e farelo. Estes parceiros recebem comissão por trabalho executado.

Hoje, a empresa é administrada pelo sócio Ricardo Fernando Dotto, auxiliado pelo seu filho João Dotto. In memorian Fausto Dotto será perpetuado e homenageado pelo que fez neste empreendimento.